UOL Estilo UOL Estilo






Meu perfil
BRASIL, Mulher, Portuguese

Neste blog Na Web

 Visitas  
 
Guarda Chuva

O mundo se divide de várias maneiras. Uma delas é de acordo com a relação que as pessoas têm com o guarda-chuva. Alguns seres humanos sempre têm o objeto estranho na hora da chuva. E nunca os perdem. Ainda não consegui entender direito esse tipo de gente.

Outra categoria é a de quem sai às vezes sem guarda-chuva. E se é pego no meio de uma tempestade, espera a chuva passar como uma pessoa normal, abrigado debaixo de uma marquise. E existe ainda a turma mais bizarra, que é aquela a qual eu pertenço. Já perdemos tanto guarda-chuva na vida que simplesmente desistimos de vez de ter um. E quando saímos de um lugar e o mundo está desabando.... oras, não temos paciência de esperar a chuva passar, claro.

E lá vamos nós, tal qual loucos, andando no meio de uma tempestade, pisando em poças, levando água na cara porque os carros simplesmente passam por cima dos alagamentos ignorando gente maluca como a gente. Depois, chegamos em casa molhados, ferrados, meio carentes. Mas chegamos. Na hora que quereremos. Livres.

Isso é uma metáfora, sim. E que venham as tempestades. Continuarei andando embaixo delas.

(Nina Lemos)

:: Escrito por 02 Neurônio às 21h46
Socorrro! Surtamos!

É. Como vocês já repararam, não gostamos de Natal. Na verdade, não gostamos de dezembro. Somos assim. Nós três. Mas um fenômeno estranho acometeu a equipe do 02 neuronio esse ano. "Nina, o almoço do dia 25 vai ser NA MINHA CASA", conta a Raq, meio apavaroda. E eu respondo: "A festa de firma vai ser na MINHA CASA". "Mas como assim festa de firma, Nina, surtou?". "Não, eu só ofereci o meu apartamento para a realização do amigo secreto." "É um cataclisma mundial",ela responde. E depois a informo que a Jo também oferendou sua residência para sediar a festa da firma dela  (só que preferiram um restaurante).

Enlouquecemos de vez? Será? É aquela coisa, se não pode vencê-los, junte-se a eles.Mas não. Calma. Não chegamos ao ponto de sair de casa para visitar árvores de Natal. Se isso acontecer... podem chamar os homens de branco. (Por Nina Lemos)

:: Escrito por 02 Neurônio às 01h13