UOL Estilo UOL Estilo






Meu perfil
BRASIL, Mulher, Portuguese

Neste blog Na Web

 Visitas  
 

 
 A TPM é um instagram do mal


Com uma TPM dos infernos, nem o instagram dá jeito. Sim, o instagram, aquele aplicativo do Iphone que faz a gente ficar lindo, nossas roupas ficarem bonitas e modernas e nossas casas arrumadas e com jeito de "apartamento de design"  (pelo menos nas fotos, graças aos filtros). Mas não. A TPM é tipo um instagram ao contrário.

Parece que colocam um filtro na nossa cabeça onde fica tudo ruim. Existem vários: o mau humor, o ódio, o melancolia, o desespero, o incômodo sem sentido.  Esse último, no meu caso, é o mais comum. Acho que estou tão “de saco cheio” do mundo. Ou triste sem motivo, que sempre penso que fiquei louca.

Nada. Geralmente foi só o filtro mesmo que se instalou.  Eles e suas variações como o “tudo vai dar errado no trabalho”, “ele não está afim de mim”, “eu não vou conseguir”. “não vai dar certo”, “quem sou eu para alguém ficar afim de mim” e por aí vai. Uma lista infinita de alterações da realidade para o mal.

Quem sofre com isso? Se você for homem, por favor, não reclame. Pense que o que passa na nossa cabeça é muito mais horrível do que qualquer mau humor que sobre para vocês!. Como somos acostumadas a nos controlar (não ria) só deixamos uns 2% caírem em cima das suas cabeças. O resto fica dentro da gente nos torturando Vocês não são capazes de imaginar o quanto é horrível por nada.

E não tem análise, meditação ou yoga que tirem o instagram do mal da nossa cabeça. Só os dias. E, o mais bizarro: passa. E a gente sempre aguenta. Sem o filtro "Nashiville" ou o "Pop" para nos ajudar e colorir a nossa vida. Somos tão fortes que até assusta. (Nina Lemos)

 

 

:: Escrito por 02 Neurônio às 20h03
 
 

Você sabe que virou meio adulta quando (continuação)

1-      Quando uma amiga (amigo) muito querido diz que você está se metendo em uma roubada, você acredita.

2-      Você esquece a idéia de tentar mudar alguém.

3-      Você não se importa de ser chamada de radical por familiares. Como disse a Dede. “Sou sim. E daí?”.

4-      Você não deixa um homem gritar com você porque sabe que isso é abuso.

5-      Você não grita com um homem porque sabe que isso é abuso.

6-      Você não deixa NINGUÉM  gritar com você.

7-      Você não grita com NINGUÉM. Se você ainda grita com a sua mãe, cresça.

8-      Você coloca suas contas no débito automático para não ter que lidar com problemas tipo “luz cortada”

9-      Você pára de perder óculos escuros.

10-   Você assume que vai usar camiseta de banda pelo resto da vida.

11-   Você lida de maneira ok com rejeição. Tipo um amigo que disse outro dia: “encontrei aquele cara que não dá a mínima para mim e eu babo por ele. Ele não dá a miiíinima”. Ele falou isso rindo.

12-   Você desencana da idéia de ser um gênio. Seja da literatura, do cinema, das artes plásticas, da ciencia ou do que for. E se dá por feliz em ter “algum” talento.

13-   Você não se culpa mais por não saber fazer coisas como cozinhar ou dirigir.

14-   Você sabe quais bandas e quais poetas podem salvar o seu dia. Ou a sua vida. E sabe que eles costumam ser os mesmos que te acudiam quando você tinha 15 anos.

(Por Nina Lemos)

:: Escrito por 02 Neurônio às 20h54
 
 

Você sabe que virou (meio) adulta quando

1-Percebe que um homem que diz que está confuso pode estar realmente confuso.

2-Sabe que quando um cara diz: “o problema é comigo” é porque o problema é com ele mesmo.

3-Começa a perceber quando alguém gosta de você. E quando alguém não gosta.

4-Sabe cobrar um preço justo pelo seu trabalho.

5-Sabe que vai morrer.

6-Sabe que é assim mesmo, um dia todos te amam, no outro você é meio medíocre e é assim que as coisas são.

7-Tem certeza de que você nunca vai saber tudo.

8-Sabe que nunca vai ser 100% sã.

9- Sabe que sempre vai ser meio infantil

10- Já se acostumou com a idéia de que vai gostar para sempre das mesmas bandas.

11- Não precisa se vestir de adulta para mostrar que é adulta.

12- Aceita que sempre vai ser do rock. Hey, ho, lets go

13- Consegue ouvir em seguida Ramones e Chico Buarque.

14- Se irrita menos quando dizem que você é “uma figura”

15- Sabe a hora de entrar e a hora de sair

16- E sabe que ainda vai errar muitas vezes na hora de entrar e na hora de sair. Mas por horas. Ou dias. Nunca por meses.

(Nina Lemos)

:: Escrito por 02 Neurônio às 21h18
 
 

180 frangos

 

Quando você está pensando que tem problemas demais, se fez a escolha certa, o que vai ser de você daqui a 10 anos....surge Edilene, a faxineira.

 

- Posso te mostrar uns lençóis que minha irmã de Pernambuco borda?

- Claro.

Os lençóis têm cores bem fortes, rosa claro, rosa escuro, verde. Com flores e fitas bordadas.

- Tá pra quanto?

- 100 reais o conjunto. Eu trouxe pra ajudá-la, porque acho que ela trabalha muito. E eu achei que eu que trabalhava, mas ela além de bordar os lençóis de manhã, trabalha com frango.

- O que ela faz com os frangos?

- Mata. E vende pra um restaurante. Mata e depena uns 180 frangos por dia.

 

Então, você que pensava o quanto trabalhava muito e estava cheia de problemas, chega a seguinte conclusão: seu problema não é nada, não é nada mesmo.

 

E o lençol ficou ótimo na minha cama.

 

:: Escrito por raq affonso às 09h37
 
 

Cabelo curto

Quando você lê seu signo no astrologyzone.com e lá está escrito que é hora de mudanças....o que você faz?

 

- Sai e 10 anos depois corta o cabelo curto

 

- Compra uma sombrinha de oncinha

 

- E espera o tsunami

 

 

 

:: Escrito por raq affonso às 18h11
 
 

Sonhos e seus signifcados

Dizem que os sonhos sempre tem a ver com o subconsciente das pessoas. Ou com o dia a dia. Acho que pode ser. Mas também acredito em sonhos premonitórios. E recados através dos sonhos.

 

Não um recado seu para você mesmo. Mas um recado de outra pessoa. Tipo assim: a pessoa tenta falar indiretamente no sonho o que não tem coragem de falar pessoalmente. Beleza, recado aceito, você agora sabe o que sempre desconfiou.

 

Outra coisa bizarra é quando você sonha com pessoas nada a ver em situações erótica/amorosas. E se dá conta de que aquela pessoa não tem que estar ali no próprio sonho! E aí o seu sonho acaba.

 

Mas o pior mesmo é quando você está sonhando com alguma coisa ótima. E de repente, pum, alguém te acorda. Como disse meu filho, " Meu sonho foi cortado num bloco ao meio!".

 

Se bem que o pior mesmo é não sonhar.

 

:: Escrito por raq affonso às 13h28
 

 

Todo mundo sabe que viajar no fim do ano pode ser um terrível infortúnio. Ainda mais se você for para um lugar onde o inverno foi o mais frio das últimas décadas. E quando liga a televisão só assiste a notícias assustadoras sobre o Big Freeze. Tudo bem, suas pequenas férias estavam no final quando a nevasca chegou e no dia da volta, a neve parou. Ou seja: certeza de que você ia conseguir embarcar sã e salva, de volta pro Brasil 40 graus.

 

Foi o que aconteceu, com algumas horas de atraso. O único problema foi que suas malas não foram junto. Nem as suas e nem de nenhum passageiro. A British Airways informou na hora do embarque, que os passageiros iam; mas que seus pertecences ficavam. E quem não quisesse embarcar, podia ficar no aeroporto de Hearthrow, a uma da manhã, com menos 10 graus.

 

No Brasil, eles garantiram que as malas chegariam inteiras nas nossas casas. Dois dias depois, chegaram duas malas inteiras. Mas de um outro passageiro, com o mesmo sobrenome. Provavelmene, a British usou um método de identificação bem seguro: pelo sobrenome! Se pessoas com sobrenome Affonso tiveram suas malas trocadas, imagina quem se chama Silva! Como a empresa não se manisfestava, resolvemos ir lá na casa do outro Affonso, tentar trocar as malas. Depois de muita confusão, consegui as malas de volta.

 

Com um detalhe: nesse meio tempo, uma das malas teve algumas coisas furtadas. Incluindo todas as bijouterias compradas na liquidação da Acessorize! O ladrão (ou a ladra) ficou com todas as pechinchas de 3 libras que eu tinha comprado. E eram muitas....

 

Não dá pra saber o que é pior: a incompetência da empresa aérea, ou a perda dos produtos da liquidação da Acessorize. Uma coisa é certa: na próxima viagem, todas as preciosas quinquilharias voltam na bagagem de mão. Por outra empresa.

 

 

 

:: Escrito por raq affonso às 15h26
 
 

Coisas estranhas do fim de ano

- Comer rabanadas. Nada mais estranho do que comer um pão frito com recheio de açúcar e canela. O pior mesmo é comer vários desses pães.

 

- Arrumar as gavetas. Você deixa a gaveta entupir de papéis o ano inteiro. E nos últimos dias resolve arrumar tudo, como se não houvesse amanhã.

 

- Trocar presentes no dia 26 de dezembro. Por que todas as pessoas resolvem trocar seus presentes no dia 26?! Por que não esperar o dia 27, o dia 29 ou mesmo o dia 5 de janeiro? As pessoas ficam loucas e o shopping entupido de gente pedindo pra trocar de M para G.

 

- SMS coletivo de fim de ano. No dia 24 e no dia 31 você começa a receber vários sms de bom natal e próspero ano novo. Nossa, como sou popular, você pensa! Até que percebe que é tipo um spam dos sms.

 

- Promessas de ano novo. Todo mundo faz. Inclusive você. Mas isso é assunto para um proximo post.

 

 

:: Escrito por raq affonso às 14h10
 
 

Decisões de quando você volta de viagem

Quando a gente volta de viagem, quer dizer, três dias antes da gente começar a pensar em arrumar a mala para voltar de viagem, o mantra  começa a ecoar: a minha vida é um lixo, a minha vida é um lixo, eu preciso mudar a minha vida. E quando você chega (porque infelizmente a gente é obrigada a voltar) geralmente está cheia de decisões. Com o tempo, confesso, já abandonei algumas das mais comuns. Como:
Vou andar mais de metrô. Não vou! E podem me chamar de burguesa. Mas para chegar no metrô eu preciso subir uma mega ladeira. E, o mais  importante, ele náo me leva a nenhum dos meus trabalhos, nem para a análise, nem para a casa dos meus amigos. Pegarei o metrô quando tiver que ir ao poupa tempo, o que costuma acontecer uma vez por ano, porque esse é o prazo em que dura uma carteira de identidade na minha mão.
Vou andar mais a pé. Não vou. Andar a pé para mim significa atravessar a Rebouças (quem é de Sáo Paulo sabe do que estou falando) com medo de ser atropelada. 
E a Teodoro Sampaio é uma rua bem feia. Só andarei a pé se arrumar um pretê andarilho ( e eu sempre atraio esses tipos, o último deles achava que a minha casa, em Pinheiros, era do lado do Baixo Augusta, e lá ia eu de salto com o dia amanhecendo enquanto ele dizia: "é  pertinho").
Vou me abrir mais para o mundo. Nem ferrando. Porque, em geral, quando eu me abro para o mundo em SP vou parar em uma festa patrocinada, gigante e cheia de playboy.
Agora, uma decisáo eu tomei e vou cumprir. Eu náo vou mais tomar bullyng. E vocês perguntam, como pode uma mulher dessa idade ser alvo de bullyng? É absurdo, mas pode. 2009 foi meu ano internacional do bullyng. Tomei bullyng de "amigos" gays que queriam se meter na  minha vida amorosa e por isso cantaram musiquinhas para mim em festas fazendo corinho, tomei bullyng de gente que eu nem conheço fazendo piada com a minha pessoa no Facebook. E o que isso tem a ver com voltar de viagem? Tudo. Se eu não sou alvo de bullyng longe da minha casa (muito pelo contrário), não vou  mais suportar isso na favela onde eu nasci. Adoro essa favela. Mas  também gosto bastante de mim. E como estava escrito em um muro de Berlin: "La ville cest moi". Ou seja. A cidade sou eu. E, a partir  de agora, prometo que ela será ainda mais bem tratada. Mesmo que para isso eu tenha que fazer como os radicais de esquerda de Berlin e queimar os carros dos ricos que estão indo morar em prédios de luxo em seus bairros, o que os deixa sem casa. Eles fazem isso na prática. Eu vou fazer metaforicamente. (Nina Lemos)
>

:: Escrito por 02 Neurônio às 12h52
 
 

Será que a gente ainda precisa não querer ser mulher?

 

Ser mulher tem algumas consequencias.

 

Dependendo do país que você nasceu, podem te dar umas boas chibatadas.

 

Você vai ter que usar um véu, nunca mostrar o rosto.

 

Também podem cortar o seu clitóris, quando você tiver uns 4 anos. Sem anestesia.

 

Você pode casar com alguém que não conhece.

 

Se o país for mais liberal, você pode usar minisssaia.

 

Talvez os alunos encanem com o o tamanho da sua saia.

 

Mas se for no Brasil....

 

Você pode ser expulsa. Pela diretoria da universidade

 

Será que a gente ainda precisa não querer ser mulher?

 

 

 

 

:: Escrito por raq affonso às 22h45
 
 

Estou presa a um telefone. Aguardo resgate.

Estou presa a um telefone. Por favor, aguardo resgate. Alguém me tira daqui. Alguém puxe com força esse aparelho que está colado às minhas mãos e o atire pela janela. Estou deitada na cama, indo dormir. Mas continuo presa a um telefone.

Em um clique estou no MSN. Em outro no Facebook. Vou parar de ler livros e passar a vida inteira lendo bobagens na Internet. Ficarei burra. E, claro, nunca mais escreverei livro algum. Passarei o resto dos meus dias apertando botões do meu telefone e indo do MSN para o Facebook e do Facebook para o Twitter. Alguém tira agora esse telefone da minha mão.

Estabelecerei relações platônicas. Nunca mais farei sexo real. Deixarei de ver os meus amigos e abandonarei os tradicionais jantares no Sujinho na “nossa” mesa. Sim, ainda irei à praia no Arpoador, mas serei uma daquelas pessoas que ficam na areia agarradas a um telefone contando que está na praia. Quando inventarem um telefone à prova de água, comprarei um.

Eu não nasci para isso e não quero esse futuro. Então, por favor, alguém venha aqui agora. E tire esse telefone que está colado às minhas mãos. (Nina Lemos)

:: Escrito por 02 Neurônio às 12h45
 
 

A libertação da novela

Novela, como todos sabem, é uma escravidão. Se você vair nas tramas de alguma delas....já era uma hora diária da sua noite. E uma prática nociva, pois você pode não ver nenhum capítulo, acompanhar só a última semana que dá na mesma.

Mas quando você se rende à novela, coisas estranhas acontecem com você, como ler o resumo na revista contigo; debater se fulana ou sicrana devem ser perdoadas; deixar de ir a eventos na semana final.

E aí, um dia, a novela acaba! E você sente uma espécie de libertação. Suas noites não tem mais esse suplício. Você não ficar mais com a música "você não vale nada mas eu gosto de você" na cabeça; Vai poder marcar eventos e não ficar culpada que perdeu um capítulo.

 

Mas só para ter o gostinho final, algumas questões que ficaram no ar depois do último capítulo:

 

- Até parece que você vai estar num restaurante e alguém vai te chamar pra trabalhar em Hollywood! Só porque viu vc editando num laptop?!

- O que aconteceu com a Ivone?

- Como a Maya apareceu toda arrumada em casa, se estava na beira do ganges toda acabada?

- Como o bebê Niraj ia embarcar pro Brasil, sem nenhum documento e sem os pais?

- Por que toda novela acaba com uma dança e um casamento?

 

:: Escrito por raq affonso às 13h11
 
 

Um fraco pelos drinques

 

Eu tenho um fraco pelos drinques. Não qualquer drinque, tipo uma dose de conhaque. Drinques mesmo, com receita, charme, elegância e nome. Tipo Caju Amigo, Mojito ou Blue Angel.

 

O problema é que se você vai num bar só de drinques, como Subastor (http://www.subastor.com.br), você pode ficar louca. É tipo ir na bazar do Alexandre Hercovitch ou entrar numa loja de R$1.99 boa. Só que no caso dos drinques, existem alguns problemas:

 

- Quanto mais drinques você bebe, mais você fica bêbada, o que impossibilita de beber muitos tipos

- Não é prudente misturar diferentes tipos de bebidas, pois no dia seguinte você vai sofrer

- Os drinques são caros. Sua conta pode vir uma fortuna, diferentemente se você estivesse num bazar ou numa loja de R$1.99

 

Ou seja: o fraco pelos drinques, pode te deixar muito fraca. Cuidado!!!

 

 

 

:: Escrito por raq affonso às 12h12
 
 

As férias da analista

Não, elas não deviam poder sair de férias. Saco. Mas acontece. E todo mês de junho é o mês INTERNACIONAL DAS FÉRIAS DAS ANALISTAS. Quando nossas queridas avisam que só vão voltar em 20 dias, muitas vezes a sensação é de desespero, pânico. “E agora, o que eu vou fazer?”

Bem, você acaba vivendo a sua vida normalmente, não é? Inclusive porque não existe outra alternativa.

Se você é uma freudiana louca, tipo eu, vai tentar analisar seus próprios sonhos durante a ausência DELA. Também vai pensar que precisa elaborar assuntos sozinha. Sim, nós, os freudianos, usamos essas palavras pentelhas tipo “elaborar”.

Mas os 20 dias passam logo. E uma hora a analista volta. E aí vem um outro momento de angústia: a primeira seção de análise depois das férias da analista. Que medo! Que angústia! Como contar de uma vez tudo o que aconteceu nos 20 dias? E como encarar a realidade de que a gente sobreviveu? Tudo bem. Passa. Depois de 50 minutos e da frase: “estamos na hora”. Aí você levanta do divã, coloca os óculos escuros e até esquece que ELA saiu de férias. Ufa! (Nina Lemos)

:: Escrito por 02 Neurônio às 20h15
 
 

O vício da novela

A pior coisa que pode acontecer a um ser humano é se apegar a uma novela. Automaticamente, ele fica preso a um programa de tv diário de uma hora, de segunda a sexta. Ou seja: ele vira um escravo da tv.

 

Não existe realmente um motivo para isso, porque mesmo você começando a ver uma novela na última semana, você entende tudo no segundo bloco. Mas se a trama indiana te pegou.....

 

Mas pior que a escravidão da novela, são as humilhações que você se permite quando vira um viciado. Coisas do tipo:

 

- Jantar antes ou depois, da novela.

- Saber o nome dos personagens

- Ficar com a música "Você não vale nada mas eu gosto de você, você não vale nada mas eu gosto de você...." na cabeça. E cantarolar, tal melodia.

 

E a coisa mais estúpida de todas: ler o resumo da novela, das revistas semanais. Afinal, para que ler o que vai acontecer na trama?! E ainda sim acompanhar todos os capítulos?!

 

Deus salve as minisséries.

 

 

:: Escrito por raq affonso às 23h06